Nossa missão é preservar a vida dos pacientes e profissionais da área da saúde.

PortugueseEnglishSpanish

PROCESSAMENTO DOS MATERIAIS E DEFINIÇÕES

Como falamos em nossa última publicação, o tema desta semana será o processamento dos materiais, fique conosco, nos acompanhe nas redes sociais e em nosso blog: https://sandersdobrasil.com.br/blog/


PROCESSAMENTO DOS MATERIAIS E DEFINIÇÕES

 

Para uma melhor compreensão dos conceitos de limpeza, desinfecção e esterilização é necessário conhecer alguns termos relacionados e estabelecidos pela RDC 15:

 

* Artigos não-críticos: Entram em contato apenas com a pele íntegra do paciente ou ainda não entraram em contato com o paciente. Apresentam baixíssimo risco pela sua utilização, entretanto podem servir de fonte para contaminação das mãos dos profissionais, que, em consequência, podem carregar microrganismos no contato com outro paciente. São exemplos os termômetros, os estetoscópios e os esfigmomanômetros. Devem ser submetidos, no mínimo, ao processo de limpeza.


* Artigos semicríticos: Entram em contato com pele não integra ou mucosas íntegras colonizadas. Membranas e mucosas intactas geralmente são resistentes aos esporos bacterianos mais comuns, porém são susceptíveis a infecções por bactérias, micobactérias e alguns vírus. São exemplos o tubo endotraqueal e os inaladores. Devem ser submetidos, no mínimo, ao processo de desinfecção de nível intermediário, após a limpeza.


* Artigos críticos: Utilizados em procedimentos invasivos com penetração de pele e mucosas adjacentes, tecidos subepiteliais, e sistema vascular, incluindo também todos os produtos para saúde que estejam diretamente conectados com esses sistemas. São artigos envolvidos em alto risco de aquisição de infecção, se contaminados com quaisquer microrganismos. São exemplos o instrumental cirúrgico, o campo operatório, os aventais cirúrgicos, as agulhas, os cateteres vasculares, etc. Devem ser submetidos ao processo de esterilização, após a limpeza e demais etapas do processo.


* Produtos para saúde passíveis de processamento: Produto para saúde fabricado a partir de matérias primas e conformação estrutural, que permitem repetidos processos de limpeza, preparo e desinfecção ou esterilização, até que percam sua eficácia ou funcionalidade.


* Produto para saúde crítico de conformação não complexa: Produtos para saúde cujas superfícies internas e externas podem ser atingidas por escovação durante o processo de limpeza e tenham diâmetros superiores a cinco milímetros nas estruturas tubulares.


* Produto para saúde crítico de conformação complexa: Produtos para saúde que possuam lúmen inferior a cinco milímetros ou com fundo cego, espaços internos inacessíveis para fricção direta, reentrâncias ou válvulas.

 

 

ETAPA DE LIMPEZA

 

Consiste na remoção de sujidades orgânicas, inorgânicas e da carga microbiana presente nos produtos para saúde, com uso de água, detergentes, produtos e acessórios de limpeza, por meio de ação mecânica (manual ou automatizada), que atua em superfícies internas e externas, de forma a tornar o produto seguro para o manuseio e preparado para desinfecção ou esterilização. Deve ser precedida pela pré-limpeza, para remover a sujidade visível presente nesses produtos.

 

                             Se um artigo não está limpo, ele não pode ser esterilizado ou desinfetado

 

A falha na limpeza incorre em falta de esterilização porque a matéria orgânica (óleo, gordura, sangue, pus e outras secreções) atua como fator de proteção para os microrganismos, impedindo o contato com o agente esterilizante. Se o material não está bem limpo, ele não pode ser esterilizado.

A limpeza eficiente pode diminuir a carga microbiana dos materiais em até 99%, devido a retirada dos micro-organismos ao remover o substrato onde se sustentavam para sobreviverem.

A limpeza por ação mecânica, em especial a automatizada, pode ser realizada através de:

 

LAVADORAS ULTRASSÔNICAS: Equipamento automatizado de limpeza que utiliza o princípio da cavitação em conjunto com a ação de detergentes enzimáticos. Destinadas a complementar a limpeza de artigos com lúmens.

 

LAVADORAS TERMODESINFECTORAS: Equipamento que utiliza força mecânica (jatos de água quente e fria) em conjunto com a ação de detergentes enzimáticos. Também responsável pelo processo de termodesinfecção.

A lavadora ultrassônica e a lavadora termodesinfectora são equipamentos complementares. Um não pode ser substituído pelo outro!

 

A limpeza manual pode variar devido as técnicas de limpeza de cada pessoa, provocar ferimentos no operador e expô-lo a produtos químicos e risco biológico, uma vez que sujidades em contato com água corrente podem gerar aerosóis, o que pode contribuir para a disseminação de microrganismos. Nesse caso, as lavadoras possuem a vantagem de garantir um padrão de limpeza e enxágue dos artigos processados em série, diminuem a exposição dos profissionais aos riscos ocupacionais de origem biológica, que podem ser decorrentes dos acidentes com materiais perfuro cortantes e, além disso, são passiveis de qualificação de desempenho.

 

A RDC 15 obriga o uso das lavadoras ultrassônicas: Art. 67. No CME Classe II e na empresa processadora, a limpeza de produtos para saúde com conformações complexas deve ser precedida de limpeza manual e complementada por limpeza automatizada em lavadora ultrassônica ou outro equipamento de eficiência comprovada.

 

Parágrafo único. Para produtos para saúde cujo lúmen tenha diâmetro interno inferior a cinco milímetros é obrigatório que a fase automatizada da limpeza seja feita em lavadora ultrassônica com conector para canulados e que utilize tecnologia de fluxo intermitente.

 

Mesmo com a automação do CME, a limpeza de materiais é um procedimento trabalhoso, minucioso e requer intenso treinamento. Apesar da importância e complexidade técnica, a limpeza, muitas vezes é considerada atividade de menor importância, sendo delegada a pessoas despreparadas, desmotivadas e desvalorizadas, o que favorece a ocorrência de falhas nessa etapa do processamento. Dessa forma, é fundamental a presença do enfermeiro em tempo integral, na supervisão dos procedimentos do CME, na elaboração dos protocolos de limpeza e na capacitação da equipe antes do início das atividades e de forma continuada, de acordo com as necessidades identificadas e sempre que ocorrer a introdução de nova tecnologia (SOBECC, 2017)

 

Podemos destacar alguns equipamentos utilizados na CME para limpeza e desinfeção, como: lavadoras ultrassônicas, Termodesifectoras, reprocessadoras de endoscópios, conjunto de pistolas, secadoras de materiais. Todos estes equipamentos a Sanders disponibiliza para você através de venda ou aluguel.

Em nosso próximo post falaremos sobre QUALIDADE DA ÁGUA, esperamos que tenha gostado deste material e tenha sido útil, fique atento para não perder a sequência das próximas publicações.

Facebook
Pinterest
Twitter
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Newsletter

Inscreva-se em nosso boletim informativo para obter informações atualizadas, notícias, insights ou promoções.

Ultímos Artigos